08/03/2022

CRIE OBRAS INCRÍVEIS COM A TÉCNICA IKEBANA

 

Arte, cultura, técnica e muita decoração. As flores trazem harmonia para todos ambientes. Usado na Índia para venerar deuses, foi adotado pelos japoneses, buscando através da simplicidade e equilíbrio, arranjos florais dignos de obras de arte. Saiba tudo sobre Ikebana. 

A arte dos arranjos florais

O termo Ikebana é referência a criação de arranjos florais, muito diferente dos tradicionais arranjos encontrados na região oeste, onde é focado em combinar muitas flores e criar um buquê. 

 

A arte Ikebana vai além de apenas criar misturas de flores, é um símbolo que é considerado até mesmo profissional, ensinado em muitas escolas japonesas e ao redor do mundo. Sua prática valoriza os traços naturais, cria senso de algo intacto e cria desejo em apreciar uma obra de arte tão harmoniosa, com sensação de leveza e paz. 

 

Os arranjos florais estão conosco há muitos anos. Seja para alegrar, pedir paz, venerar e até mesmo decorar, são atitudes globais. Com o passar dos anos, Ikebana vem ganhando fama e visibilidade ao redor do mundo, não somente no oriente, como era de fato. A faísca por esta crescente se deu pelo fato da busca por designs interiores minimalistas, com toques naturais. 

 

Devoção dos artistas 

Artesãos japoneses são conhecidos por sua alta reputação em precisão e tradição com base em seus ancestrais, passando por muitas gerações adiante. Os japoneses sempre fizeram do trabalho manual algo impecável, verdadeiras obras primas, como vemos na cerâmica e até mesmo sua gastronomia tradicional. 

 

Detalhes e movimentos que são carregados por muitas gerações, continuam hoje seguindo firme. O modo com que os japoneses lidam com os arranjos florais não fica de fora. Para quem vê, Ikebana pode parecer a mesma coisa que arranjos tradicionais ou até mesmo flores, apenas. No entanto, carregam raízes do Budismo e Wabi-Sabi, enaltecendo a pureza e a imperfeição.  


 

Seu lar adepto ao Ikebana 

São anos para perfeição, mas não há uma regra que te impeça de tentar criar. Ao contrário do que você está pensando, o equilíbrio se dá através da assimetria, assim como Wabi-Sabi, aceitar a imperfeição e abraçar todas as formas. 

 

A assimetria é mais prevalente na arte do que você pode imaginar, é o resultado de movimento ao contrário do resultado estático da simetria. É comum vermos na montagem destas composições galhos maiores e alguns menores, ao contrário de um arranjo tradicional, que utiliza 50/50. Isso ressalta ainda mais o conceito Wabi-Sabi, sobre a beleza e sofisticação natural das imperfeições.  

Clique na imagem e confira este vaso minimalista.

Escolha seu estilo 

A uma longa e variada quantidade de estilos utilizados no Ikebana, no entanto, para manter um padrão, foque em uma estrutura do triângulo escaleno, as três pontas representam céu, terra e a humanidade. As composições não tendem a fugir do básico, assim como as cores das flores. 

 

Você pode adaptá-lo a estilos minimalistas, ecléticos, contemporâneos ou ir para o lado mais moderno, veja qual é seu estilo e adapte, afinal, o vaso é como uma tela em branco, crie arte! 

Flores e plantas 

A definição dos elementos é ampla, geralmente é escolhido flores da época, com volume, botões e lindos galhos. Pode até parecer que este método utiliza regras, mas na verdade são direções em que você pode optar tomar, não há limite e restrição quanto a escolha das flores. Na maior parte dos mestres Ikebana, por questões de disponibilidade, optam por flores da época.  

 

Combine a decoração 

Design minimalista são as melhores opções para combinar com os arranjos florais. Escolha um ambiente clean, para exaltar ainda mais sua obra, destacando cada parte das flores escolhidas e suas formas. 

 

Lembre que Ikebana veio de uma tradição Budista, suas raízes clamam por um lugar mais sereno, quem sabe onde você faz suas reflexões e meditações? Pare por um minuto, olhe ao redor de sua casa e escolha o menor ambiente para destacar uma obra cheia de formas simplistas, deixe a assimetria das flores criarem poesia.  

 

Fundamentos finais:

Menos sempre será mais, no conceito Ikebana, o ideal é inserir ao vaso apenas o que você sente e enxerga sentido, lembre sempre do minimalismo e do triângulo escaleno. A escolha das cores, vaso, local e forma podem parecer um tanto complexas, mas não é. Sinta sua obra, deixe que seus olhos e mente a definem como um e resultem em uma obra prima. 

Respeito, precisão e tranquilidade, conexão com a natureza. Quando sentir tudo isso, você está no caminho certo. Outro fato importante é lembrar que esses arranjos eram feitos para Divindades, portanto, escolha diferentes materiais, composições e dê propósito a sua arte, nós temos certeza de que dentro de você, há uma grande obra a ser exaltada. 

 

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.